Ler — 21 Julho 2016
COMPANHIA DE PAULO RIBEIRO: DUAS DÉCADAS DE COISAS CONCRETAS

Comemorando os 20 anos de existência da companhia de dança de Paulo Ribeiro, sediada em Viseu, o director-coreógrafo encomendou a meia dúzia de pessoas uma obra com o curioso título de “uma coisa concreta”.

Só por esse título se percebe qual o motto do artista lisboeta e, mesmo, a sua relação com a arte de Terpsícore.

 

PR 1

Cada vez que sai em Portugal um obra sobre dança, o leitor mais atento fica sempre com a sensação que sabe a pouco. Já que são tão espaçadas e, normalmente, se esgotam rapidamente. Não será o caso de “uma coisa concreta”, uma vez que foi editada em sistema virtual. Podendo, assim, ser adquirida via Internet em suporte digital.

Trata-se de uma obra muito apelativa, desde logo devido ao seu design e à sua excelente qualidade gráfica.

PR 2

 

Depois do livro dos “dez anos” da companhia de Viseu – Corpo de Cordas, da autoria de Cláudia Galhós, em 2006 – surgiu, em Dezembro de 2015, esta obra a doze mãos por Luísa Roubaud, Maria de Assis, Mónica Guerreiro, Paula Varanda, Isabel Lucas e Tiago B. Costa

Estranhamente, os autores de um conjunto de belíssimas fotos não estão identificados. Nem, tão pouco, os muitos artistas que as povoam e lhes dão chama.

AL 

Related Articles

Share

About Author

Antonio Laginha

(0) Readers Comments

Comments are closed.